Abortista: “Eu corto as cordas vocais dos bebês para eles não gritarem”

Abortista: “Eu corto as cordas vocais dos bebês para eles não gritarem”

De agora em diante, abortistas vão admitir publicamente a verdade sobre os procedimentos terríveis do aborto.

Leah Torres – médica que admite cortar as cordas vocais dos bebês para evitar gritos de dor

No último domingo, Leah Torres, uma abortista de Utah que é ativa no Twitter, respondeu com horríveis detalhes a alguém que criticava o seu trabalho. Quando alguém perguntou a Torres se ela escuta os gritos dos bebês que são abortados, deu a resposta: “Vocês sabem que os fetos não podem gritar, certo? Primeiramente eu corto a corda vocal, então nem há a oportunidade, se eles já estiverem com a laringe formada. Eu não vou me desculpar por

praticar medicina. Eu também faço remoção de úteros, se quiserem descrever histerectomia assim”.

A realidade doentia do aborto que Torres expôs insensivelmente, ocasionou uma reação imediata no Twitter. David Daleiden, do Centro para Progressos Médicos, disse que a reputação de Torres como uma abortista corajosa e sem vergonha alguma, foi uma das razões de não acobertarem as investigações em Utah.

Nas investigações secretas que Daleiden e sua equipe realizaram, foram ouvidos abortistas conversando num jantar sobre quebrar os crânios dos bebês, piadas sobre seus olhos caindo e discussões sobre a retirada dos bebês, membro a membro.

Charles C.W. Cooke, editor do National Review respondeu a Torres com sarcasmo sobre a autopromoção dela: “Eles não podem gritar porque eu corto suas gargantas” – talvez precise de um pouco mais de aprimoramento.”

 

“Não. Você sabe que os fetos não podem gritar, certo? Eu corto as cordas vocais deles primeiro, para não terem essa oportunidade, caso já estejam desenvolvidos o suficiente para terem laringe”

Lauren Enriquez, da Coalisão humana, previu que um dia o trabalho dos abortistas iria liderar a lista de abusos dos direitos humanos, ao lado do doutor nazista Josef Mengele: “Num dia em breve, a história se lembrará de Torres e seu nojento trabalho como lembramos de Josef Mengele. Eles são os representantes e perpetradores dos grandes genocídios na história da humanidade. No entanto, ninguém – NINGUÉM – está distante da misericórdia de Deus, então continuemos a orar por eles”.

 

Obianuju Ekeocha, ativista pró-vida africano, solicitou aos cristãos que orem pela conversão dos abortistas como Torres: “Enquanto a indústria do aborto tenta suavizar um negócio brutal de abate a bebês não nascidos, esta abortista vem de vez em quando revelar a intensa escuridão que é o aborto. Nós oramos para que um dia ela mude seu coração”.

Os abortos são procedimentos brutais e horríveis que matam quase 1 milhão de bebês na América todos os anos. Recentemente, os legisladores pró-vida em todo o país (EUA) chamaram a atenção para a barbaridade do aborto através de leis para proibir abortos de desmembramento.

Até o momento, Alabama, Arkansas, Kansas, Louisiana, Mississippi, Oklahoma, Texas e Oeste da Virginia aprovaram leis proibindo abortistas de “desmembrar” bebês no ventre da mãe. Ao menos, vários outros Estados tentam aprovar leis similares.

Apenas um dos muitos métodos de aborto, os abortos de desmembramento envolvem “desmembrar conscientemente uma criança viva não nascida e extrair essa criança de uma só vez por via do útero através do uso de grampos, agulhas, tesouras ou instrumentos semelhantes que, através de duas hastes rígidas, possam esmagar ou agarrar uma porção do corpo do nascituro para cortá-la ou arrancá-la”. De acordo com o Comitê Nacional de Direito à Vida (EUA), estes abortos são comuns no segundo trimestre da gestação.

Texto no idioma original: http://www.lifenews.com/2018/03/15/abortionist-i-cut-unborn-babies-throats-so-they-cant-scream/